Notícias Barueri 

Barueri estuda reforçar sistema de drenagem de água no Tamboré.

A temporada de chuvas mal começou e o bairro do Tamboré já sofreu com um velho conhecido: os alagamentos. Na segunda-feira (19), após uma forte chuva que assolou a capital e a Grande São Paulo, a região ficou debaixo d´água. “Essa área sempre foi assim, tem que fugir dela assim que começa a chover”, destacou uma moradora nas redes sociais.

De acordo com a Prefeitura de Barueri, foram registrados cinco pontos de enchentes na região, entre eles, Av. Piracema com a Al. Araguaia, Av. Piracema com a Av. Rio Preto e Av. Tucunaré com a Araguaia. Segundo o Climatempo, a previsão é de mais chuvas no fim de semana, com pancadas no sábado (24) de até 25 mm, e chuva a qualquer hora no domingo (25).
“Na segunda (19), Barueri registrou em poucas horas na região do Tamboré o volume de 75 mm de precipitação, sendo que acima de 50 mm já é considerado ‘chuva violenta’. O sistema de drenagem não suportou o grande volume de água. Mas assim que diminuiu a intensidade, a água foi absorvida, pois os sistemas de captação de águas pluviais, como bueiros e galerias, são limpos semanalmente”, apontou a gestão. 
A administração municipal ainda informou à reportagem da Folha de Alphaville que estuda reforçar o sistema de drenagem no Tamboré. “A prefeitura está estudando as bacias da região para reforçar de forma assertiva os sistemas de drenagem em todo o município e assim evitar inundações e alagamentos”, destacou.

Problema antigo
Não é de hoje que moradores de Alphaville e Tamboré sofrem com inundações em temporadas de chuva. Prova disso é que entre os dias 9 e 10 de fevereiro deste ano, por exemplo, as ruas da região ficaram debaixo d´água, após 166,4 mm de chuva que caíram em Barueri.

Para tentar minimizar esta situação, em 2013, a CCR ViaOeste e a prefeitura da cidade firmaram um convênio para ampliação da capacidade de vazão do sistema de drenagem na Av. Piracema e Trevo do Tamboré.
“Tal projeto previa, dentre outras melhorias, a execução de nova rede de drenagem pelo método não destrutivo (tunnel liner). A obra foi concluída em 2015 e não há previsão de realização de novas obras no local pela concessionária”, informou a CCR. 


Related posts

Leave a Comment