Que tal um cineminha?

Como se divertir custa caro! Adoro ir ao cinema, todo aquele clima de pipoca, chocolate e refrigerante. Só de pensar dá vontade… O bom seria ir uma vez por semana, mas esse prazer sai caro. Não é só o ingresso, é o combo (pipoca e guaraná). E eu não consigo ir ao cinema sem pedir o meu super combo, faz parte do passeio. Depois do cineminha, nada como uma pizza ou um sorvete, e pros que o são fãs incondicionais do McDonalds , aí é que o cineminha vai sair o olho da cara.
Uma vez, o jornalista Cesar Tralli deu uma palestra na faculdade e aproveitou para lançar seu livro, que contava as diversas reportagens internacionais que fez quando era correspondente da TV Globo. Ele cuidava pessoalmente das edições e das trilhas, e as matérias geralmente eram muito boas. Sabe de onde ele tirava tantas idéias? Sim, do cinema! Depois daquele dia, eu comecei a ver os filmes com outros olhos. Hoje, observo tudo: A direção, a trilha, o roteiro, a fotografia. Virou automático.
O cinema é mágico e visionário. Ele tanto pode mostrar um futuro próximo ou fazer a gente refletir sobre o passado. Ninguém sai da sala sem que algo tenha mudado dentro de si.
No meu caso, gosto de filmes alternativos como às comédias românticas. . Foi num filme onde eu encontrei a profissão certa, que se encaixava comigo . Caiu como uma luva, era a resposta para as todas as minhas dúvidas naquele momento de indecisão. Sai dali extremamente feliz, acreditando piamente que eu poderia ser feliz seguindo aquela carreira. E foi mesmo, amo o que faço, mas claro no cinema tem mais glamour que a vida real.
Peguei gosto por filmes de super heróis, principalmente os da Marvel. São sensacionais, não perco um! E por influência dos meus irmãos, adoro ficção e policial. Quanto mais tecnologia, mais emocionante fica o filme. E animação? Quando é em 3D eu pareço uma criança. Aliás, o que tem de criança da minha idade, que lota a última sessão da noite… Fãs incondicionais!
Agora que inventaram a televisão 3D, o cineminha pode ser em casa, durante a semana, e com direito a brigadeiro de colher, pipoca do microondas, coca-cola zero, e neste frio um cobertor. Ô coisa boa!!! É uma pena que consumir o que é bom sai caro, mas hoje com a internet e o DVD, dá para curtir à vontade.
Atualmente trabalho com cinema, estou prestes a produzir o meu primeiro longa, e não tenho palavras para descrever o prazer que é estar do outro da tela. É outra paixão!
Vale a pena ir ao cinema pelo menos uma vez por mês, e com direto ao super combo e chocolate. E para aqueles que são cinéfilos de carteirinha, a internet é prato cheio . Então, que tal um cineminha?

 Artigo enviado pela Colunista: Fabiana Camargos


Related posts

One Thought to “Que tal um cineminha?”